Portugal - Portuguese

O site da ABB utiliza cookies. Ficando aqui , está a concordar com a nossa utilização de cookies. Ler mais

O YuMi sobe ao palco

Como em espetáculos anteriores realizados sob o teto coberto de frescos do elegante Teatro Verdi, em Pisa, Itália, os músicos sentam-se atentos, os instrumentos prontos, os olhos focados no Maestro. Os solistas também estão prontos, esperando o movimento ascendente do maestro com a batuta para começar. No entanto, este não é um espetáculo comum nem um maestro comum. Aqui, o YuMi da ABB, o primeiro robô de dois braços verdadeiramente colaborativo do mundo, está a estrear-se como maestro de uma orquestra.

12 de setembro, 2017 -  O YuMi dirigiu o tenor italiano Andrea Bocelli num programa de Verdi para um concerto de caridade no Primeiro Festival Internacional de Robótica. Mais de 800 ilustres convidados de todo o mundo assistiram ao programa intitulado A breath of hope: from the Stradivarius to the robot.Entre os convidados desta performance especial, estava o CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer, que liderou o desenvolvimento do YuMi quando ainda era responsável pela transformação do negócio da robótica.

Bocelli

  Andrea Bocelli em palco com o YuMi   


Num dos mais belos teatros da tradição italiana, o Maestro Bocelli cantou enquanto o YuMi dirigia "La Donna è Mobile", a famosa ária de "Rigoletto" de Verdi. O YuMi continuou a conduzir enquanto a solista Maria Luigia Borsi cantou o clássico soprano da ária "O mio babbino caro "de “Gianni Schicchi "de Puccini. Para concluir, o YuMi também conduziu uma passagem do intermezzo de Mascagni da ópera "Cavalleria Rusticana".

Borsi

  Maria Luigia Borsi em palco com o YuMi   


Um interlúdio de 15 minutos no programa, num evento único que mostrou como a colaboração entre humanos e robôs pode funcionar perfeitamente.

O Maestro Bocelli, elogiou com entusiasmo a performance. "Foi muito divertido apresentar-me com o YuMi, o robô colaborativo da ABB. Aqui ficou demonstrado que um robô poderia realmente conduzir uma orquestra, mas apenas com o excelente trabalho de engenheiros muito talentosos e um verdadeiro maestro. Parabéns à equipa que conseguiu alcançar este feito ".

CEO

Andrea Bocelli e Ulrich Spiesshofer, CEO da ABB, com o YuMi antes do espetáculo 


"Acho que esta noite estamos realmente a fazer história e a escrever o futuro das aplicações para a robótica” disse o CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer após o desempenho." O YuMi demonstrou como é intuitivo, e qual a sua capacidade de autoaprendizagem - o quão fantástico é o nosso software na aprendizagem do movimento de um maestro, na deteção da música e na condução de toda uma equipa".

Conduzir uma orquestra é uma das mais elevadas formas de arte - trata-se de moldar as diversas vozes dos músicos numa única expressão ao serviço do compositor. O YuMi é uma das mais elevadas formas de tecnologia robótica, mudando a maneira como o mundo olha a colaboração entre humanos e robôs. As duas formas, que se uniram tão suavemente durante o desempenho, são um testemunho da natureza evolutiva, de como homem e máquina podem trabalhar juntos de maneiras totalmente novas.

O maestro Andrea Colombini, diretor da Orquestra Filarmónica de Lucca, que ajudou a preparar YuMi para o evento, ficou entusiasmado com a sofisticada tecnologia do YuMi. "Configurar a interação entre o cotovelo, o antebraço e o pulso do robô, fazendo uso da sua versatilidade em repetidas e exigentes tentativas para acompanhar os altos e baixos, teve muito sucesso", disse ele. As nuances gestuais de um maestro foram completamente reproduzidas a um nível que antes era impensável para o maestro.

O YuMi conseguiu um nível muito alto de fluidez de gestos, com uma incrível suavidade de toque e movimentos expressivos. Este é um passo incrível, dada a rigidez dos gestos de robôs anteriores e prova com que facilidade o YuMi pode ser programado para fazer os trabalhos mais delicados na montagem eletromecânica.

O desempenho do YuMi foi desenvolvido em duas etapas. Nos ensaios, o movimento de Colombini foi capturado com um processo chamado “lead-through programming”, onde os dois braços do robô são guiados para seguir os movimentos, dando grande atenção aos detalhes, esses movimentos foram então registados. O segundo passo envolveu o ajuste fino dos movimentos no software RobotStudio da ABB, onde os movimentos foram sincronizados com a música. Com a experiência técnica da ABB, o lead-through programming permitiu que Colombini se concentra-se no que faz melhor, trazer vida à música.

O primeiro Festival Internacional de Robótica tem sido um lugar para divulgação da robótica, e das suas aplicações, incluindo robôs industriais colaborativos como o YuMi.

Embora esta performance nos ofereça um vislumbre inspirador do futuro, é improvável que os robôs se tornem capazes de combinar a mestria, arte, técnica, interpretação e o carisma de um maestro humano qualificado. O objetivo é desenvolver robôs industriais que sejam mais fáceis de usar e que funcionem melhor com menos intervenção humana.

Assim como o YuMi encantou o Maestro, os robôs trazem experiências únicas e emoção para a nossa realidade.


O 1º Festival Internacional de Robótica em Pisa, Itália, 7 a 13 de setembro, visa divulgar e desenvolver conhecimentos neste campo em todas as áreas e aplicações. Instituições, universidades, museus, fundações e muitos institutos de pesquisa uniram-se para realizar este evento único e abrangente. O extenso programa incluiu conferências e debates, tanto científicos como didáticos, um programa de cinema, exposições de robótica educativa e demonstrações de robótica aplicada.

Acessos