Crescimento resiliente

  • Total de pedidos + 3%1, carteira de pedidos + 6%
  • Ordens de base + 6%, maiores em todas as divisões e regiões
  • Receitas + 4%, book-to-bill2 1,11x
  • Margem EBITA operacional2 11,2%, impactada em 100 pontos-base pela diluição da GEIS e mais 100 pontos-base por custos irrecuperáveis
  • Lucro líquido de US$ 535 milhões, -6%
  • EPS operacional2 $ 0,31, + 5%3
  • Fluxo de caixa das atividades operacionais - US$ 256 milhões; entrega sólida de caixa esperada para o ano
  • Anunciado acordo global de parceria de software com a Dassault Systèmes

“Apresentamos mais um trimestre de pedidos sólidos e de crescimento de receita, demonstrando a qualidade e a resiliência de nosso portfólio, apesar do abrandamento que vimos em alguns de nossos mercados finais, particularmente na manufatura discreta e no setor automotivo”, disse o diretor financeiro da ABB, Timo Ihamuotila.

“Continuamos focados firmemente no desempenho operacional e na integração da GEIS; excluindo o seu impacto, nossa margem operacional melhorou. Estamos bem encaminhados com relação à separação de Power Grids, e nossos quatro novos negócios principais iniciaram as operações em 1º de abril, conforme planejado.”

Números Principais

Variação

$ em milhões, salvo indicação em contrário

1ºTri/2019

1ºTri/2018

US$

Compa-

rável1

Pedidos

7.613

7.555

+1%

+3%

Receitas

6,847

6,441

+6%

+4%

Lucro Operacional

590

626

-6%

EBITA Operacional2

766

752

+2%

+10%4

Como % das receitas operacionais

11,2%

11,7%

-0,5pts

Resultado de operações continuadas, líquido de impostos

415

414

+0%

Lucro líquido atribuível à ABB

535

572

-6%

EPS Básico ($)

0,25

0,27

-6%3

EPS Operacional ($)2

0,31

0,31

-3%3

+5%3

Fluxo de caixa das atividades operacionais5

-256

-518

+51%

Em 17 de dezembro de 2018, a ABB anunciou a venda acordada de sua divisão Power Grids. Consequentemente, os resultados do negócio de Power Grids estão apresentados como operações descontinuadas. Os resultados da empresa, para todos os períodos, foram ajustados de acordo.

Perspectiva de curto prazo

Os sinais macroeconômicos estão confusos na Europa, com a expectativa da continuação de crescimento nos EUA e na China. Em geral, o mercado global está crescendo, com incertezas geopolíticas crescentes em várias partes do mundo. Espera-se que os preços do petróleo e os efeitos da conversão cambial continuem influenciando os resultados da empresa.

Resultados do Grupo no 1º Trimestre de 2019

Pedidos

O total de pedidos subiu 3% (1% em dólares), liderado pelo crescimento de pedidos nas divisões de Electrification Products e Robotics and Motion. As encomendas foram bem apoiadas pelo impulso positivo de pedidos de base. Os pedidos de base de terceiros aumentaram 6% (8% em dólares americanos); todas as divisões e regiões cresceram durante o trimestre. As grandes encomendas ficaram abaixo do mesmo período do ano anterior e representaram 3% do total de pedidos, abaixo dos 10%. A carteira de pedidos subiu 6% (2% em dólares) em relação ao ano anterior, encerrando o trimestre em US$ 13,9 bilhões.

As ordens de serviço aumentaram 6% (6% em dólares). Elas representam 20% do total de pedidos, acima dos 19% do último ano.

Mudanças no portfólio de negócios, incluindo os impactos da aquisição da GE Industrial Solutions (“GEIS”) e do estabelecimento da Joint Venture da Linxon, resultaram em um impacto líquido positivo de 4% no total de pedidos. Os efeitos de conversão cambial tiveram um impacto negativo líquido de 6% no total de pedidos.

Visão geral do mercado

O desempenho, em base regional, foi equilibrado durante o trimestre:

  • O total de pedidos da Europa foi 3% menor (8% em dólares), impulsionado principalmente por conta de um menor número de grandes encomendas. As contribuições positivas da Dinamarca, França e Itália foram superadas por declínios na Alemanha, Noruega e Suécia. Os pedidos de base cresceram 6% na Europa.
  • O total de pedidos das Américas aumentou 9% (28% em dólares). As encomendas dos Estados Unidos aumentaram 7% (33% em dólares) e um bom crescimento também ficou evidente no Canadá e em vários países da América do Sul, incluindo o Chile. Os pedidos de base aumentaram 7% nas Américas.
  • Na Ásia, Oriente Médio e África (AMEA), o total de pedidos subiu 5% (7% menor em dólares), com forte crescimento de Cingapura, Japão, Austrália, Coréia do Sul e China, mais do que compensando o desempenho mais lento de países como a Arábia Saudita, Egito, África do Sul e Índia. Na China, os pedidos aumentaram 6% (5% em dólares). Os pedidos de base foram 4% maiores na região AMEA.

A demanda foi mista nos principais segmentos de clientes da ABB:

  • Nas indústrias, a dinâmica dos pedidos continuou forte em setores de processo selecionados, como os clientes de celulose e papel, e mineração, refletindo o aumento dos gastos com manutenção, juntamente com um ambiente favorável de preços das commodities. Isso beneficiou particularmente a entrada de pedidos de Industrial Automation e de Motion da ABB, incluindo a demanda robusta por ofertas de serviços e soluções do ABB Ability™. A atividade da manufatura discreta e do setor automotivo desacelerou durante o trimestre, enquanto a atividade da 3C permaneceu moderada.
  • A demanda por transporte e infraestrutura foi sólida, com investimentos contínuos em embarcações de transporte ferroviário e marítimo especializado. Os pedidos para a oferta de mobilidade eletrônica da ABB e para a infraestrutura de data centers cresceram fortemente. A demanda por construção foi sólida, com investimento contínuo em edifícios comerciais, como hospitais e resorts.

Receitas

As receitas melhoraram 4% (6% em dólares), com forte crescimento em Electrification Products e Robotics and Motion, e um desempenho estável em Industrial Automation.

As receitas de serviços aumentaram 6% (6% em dólares). Os serviços representaram 19% da receita total, atingindo o mesmo nível do ano anterior.

As mudanças no portfólio de negócios, incluindo os impactos da aquisição da GEIS e do estabelecimento da Linxon JV, contribuíram, para as receitas reportadas, com um resultado líquido positivo de 9%. As mudanças nas taxas de câmbio resultaram em um impacto negativo de 7% na conversão sobre as receitas reportadas.

No trimestre, a relação book-to-bill foi de 1,11x contra 1,17x no mesmo período do ano anterior.

EBITA operacional

O EBITA operacional de US$ 766 milhões subiu 2% em dólares, em comparação com o mesmo período do ano anterior. A margem operacional EBITA situou-se em 11,2% e foi 50 pontos base mais baixo ano-a-ano.

No primeiro trimestre, o impacto da integração da GEIS na margem EBITA operacional foi de aproximadamente 100 pontos-base, enquanto os custos irrecuperáveis ​​pesaram em mais de 100 pontos-base. Custos irrecuperáveis ​​são serviços prestados pelo grupo a Power Grids, que não se qualificam para serem reportados como operações descontinuadas, e os quais o grupo espera serem predominantemente transferidos para Power Grids ou eliminados até o fechamento da transação, o que é esperado para o primeiro semestre de 2020. Foram reconhecidos custos irrecuperáveis ​​de US$ 67 milhões nos resultados do EBITA operacional do Corporate and Others – US$ 9 milhões a menos do que no ano anterior.

Lucro líquido, básico e operacional por ação

O lucro líquido das operações contínuas foi de US$ 415 milhões. Operações descontinuadas realizaram um lucro líquido de US$ 149 milhões. O lucro líquido do Grupo atribuível à ABB foi de US$ 535 milhões – 6% menor ano a ano. O lucro básico por ação foi de US$ 0,25 – 6% menor do que no ano anterior. O lucro operacional por ação de US$ 0,31 foi 3% menor e aumentou 5% em termos de moeda constante3

Fluxo de caixa das atividades operacionais

O fluxo de caixa das atividades operacionais de -US$ 256 milhões é comparável a -US$ 518 milhões no primeiro trimestre de 2018. Comparado ao trimestre do ano anterior, o fluxo de caixa das atividades operacionais em operações contínuas se fortaleceu para -US$ 97 milhões de -US$ 365 milhões, enquanto o fluxo de caixa de operações descontinuadas de -US$ 159 milhões ficou estável em relação ao mesmo período do ano anterior.

No primeiro trimestre de 2019, o fluxo de caixa das atividades operacionais contínuas foi beneficiado pelo atraso no pagamento de incentivos aos funcionários e pela forte cobrança de pagamentos de projetos em andamento, o que superou os altos pagamentos do estoque. A ABB espera uma entrega sólida de caixa para o ano inteiro, ponderada para o segundo semestre.

O capital de giro líquido como porcentagem da receita foi de 11,2% - de 12,9% no mesmo período do ano anterior.

Desempenho por Divisão no 1º Trimestre

(em milhões de dólares, salvo indicação em contrário)

Pedidos

Variação

Pedidos de base de 3ºs

VARIAÇÃO

Receitas

Variação

EBITAOp

VARIAÇÃO

US$

Compa-
rável1

US$

Compa-

rável1

US$

Compa-
rável1

ElectrificationProducts

3.363

+21%

+6%

3.227

+22%

+5%

3.057

+23%

+5%

12,4%

-2,8pts

Industrial Automation

1.884

-11%

-5%

1.796

+1%

+7%

1.738

-7%

+0%

13,0%

-1,1pts

Robotics and Motion

2.545

-1%

+5%

2.273

-2%

+4%

2.229

+1%

+7%

15,1%

-0,2pts

Corporate & Other

(179)

8

(177)

(174)

ABB Group

7.613

+1%

+3%

7.304

+8%

+6%

6.847

+6%

+4%

11,2%

-0,5pts

A partir de 1º de outubro de 2018, a divisão Power Grids passou de operações continuadas para operações descontinuadas. Todos os valores relatados anteriormente foram reapresentados de maneira consistente com essas alterações no portfólio. O resultado Corporate & Other inclui as eliminações entre divisões.

Electrification Products

O total de pedidos cresceu 6% (21% em dólares) e os pedidos de base de terceiros subiram 5% (22% em dólares). Todas as áreas de negócio cresceram, com força evidente em sistemas e produtos de baixa tensão, especialmente em data centers e carga de VE. Em uma base regional, os pedidos cresceram em todas as áreas geográficas. As receitas melhoraram 5% (23% em dólares). A margem do EBITA operacional foi de 280 pontos base ano-a-ano em 12,4%, refletindo principalmente a diluição de 270 pontos-base da GEIS que, antes de ser adquirida pela ABB, no 1º e 2º trimestre de 2018, também apresentou fraqueza de margem relativa. Excluindo a GEIS, as margens beneficiaram-se de volumes positivos, compensados ​​pelos efeitos do mix.

Industrial Automation

O total de pedidos foi 5% menor (11% em dólares americanos), influenciado por uma base comparativa difícil para grandes encomendas, particularmente na região da Europa. As encomendas de base de terceiros avançaram bem – 7% acima (1% em dólares) – evidenciando uma forte demanda das indústrias de processo e da indústria naval. A carteira de pedidos teve um aumento de 2% (5% menor em dólares) no final do trimestre em comparação com o mesmo período do ano anterior. As receitas ficaram estáveis ​​em termos comparáveis ​​(7% mais baixos em dólares). A margem EBITA operacional, de 13,0%, reflete principalmente os efeitos negativos do mix e dos investimentos em crescimento.

Robotics and Motion

O total de pedidos subiu 5% (estável em dólares), apesar de uma base comparativa difícil e de um ambiente de mercado mais desafiador. O crescimento de pedidos foi forte para acionamentos e motores, refletindo o crescimento contínuo nas indústrias de processo. Na robótica, o crescimento de pedidos foi constante, com concessões maiores de pedidos de soluções. Em uma base regional, o crescimento dos pedidos foi liderado pela AMEA. A carteira de pedidos encerrou o trimestre em alta de 9% (2% em dólares).As receitas melhoraram 7% (1% em dólares), enquanto a margem EBITA operacional, em 15,1%, foi 20 pontos base mais baixa em comparação com o mesmo período do ano anterior, principalmente devido aos efeitos do mix em robótica.

Um líder focado em indústrias digitais

Em 17 de dezembro de 2018, a ABB anunciou ações fundamentais para focar, simplificar e liderar as indústrias digitais, para aumentar o valor do cliente e o retorno para os acionistas. Para mais informações, consulte ABB.com/writing-the-future. Em 28 de fevereiro de 2019, a ABB apresentou sua estratégia, incluindo detalhes de seus quatro principais negócios para a comunidade de investidores e analistas em um evento de atualização de estratégia. Para mais informações, consulte ABB.com/strategy-update-2019.

A equipe de administração da ABB estabeleceu duas prioridades claras para 2019: tocar os negócios e gerenciar a transformação.

Destaques da empresa

Durante o primeiro trimestre, um foco contínuo no crescimento lucrativo proporcionou outro trimestre de crescimento sólido de receita, demonstrando a qualidade no novo portfólio da ABB. A ABB anunciou em 26 de março de 2019 que foi contratada para fornecer um pacote abrangente de energia e propulsão, incluindo as soluções do ABB Ability™, para a construção do primeiro navio de cruzeiro de fabricação nacional da China.

Continuou em ritmo acelerado a integração da unidade de negócios da GEIS com as linhas de negócios existentes de Electrification Products. A ABB continua no caminho para entregar os esperados $ 200 milhões de sinergias anuais de custos, durante 2022.

Um importante acordo global de parceria de software com a Dassault Systèmes foi anunciado em 28 de fevereiro de 2019, aumentando a forte rede de parceiros da ABB para digitalização industrial, incluindo o Microsoft Azure e a HPE. Com essa parceria, a ABB vai desenvolver e fornecer Digital Twins avançados aos clientes, permitindo que executem as soluções do ABB Ability™ em suas operações com maior eficiência, flexibilidade e sustentabilidade.

A ABB fortaleceu seu relacionamento com a Ericsson, assinando um Memorando de Entendimento em 1º de abril de 2019. As duas empresas vão colaborar na pesquisa de tecnologias de automação sem fio, concentrando-se nas oportunidades da “fábrica do futuro”, possibilitadas pela conectividade 5G.

Atualização da transformação

Vários marcos de transformação da ABB foram alcançados durante o primeiro trimestre. Uma experiente equipe de gerenciamento, que está posta para liderar o processo de separação de Power Grids e a separação dos negócios, está no caminho certo. A implementação do novo modelo operacional da ABB, o ABB-OS™, está em andamento. Uma vigorosa equipe de projeto, para supervisionar o programa de simplificação do ABB-OS™, está operando desde o início do primeiro trimestre.

Durante o trimestre, uma nova diretoria de negócios, que irá controlar os esforços do Global Business Services da ABB, foi estabelecida e a organização de vendas foi transferida para os negócios. A partir de 1º de abril de 2019, os quatro principais negócios da ABB tornaram-se operacionais.

A ABB espera um total de aproximadamente US$ 500 milhões em reduções de custos anuais de taxa de juros em todo o grupo, com US$ 150 milhões a 200 milhões de taxa de meta em 2019 e a taxa de execução total atingida durante 2021. A economia do ABB-OS™, em 2019, será alcançada principalmente através da simplificação das funções do grupo e as organizações de país, à medida que elas se movem para os negócios e o estabelecimento de uma nova estrutura corporativa mais enxuta.

Perspectivas de curto e de longo prazo

Os sinais macroeconômicos estão confusos na Europa, com expectativa de crescimento continuado nos EUA e na China. O mercado global em geral está crescendo, com incertezas geopolíticas crescentes em várias partes do mundo. Espera-se que os preços do petróleo e os efeitos da conversão cambial continuem influenciando os resultados da empresa.

Os quatro novos negócios da ABB, globalmente, são o número 1 ou 2 em mercados atraentes com fortes drivers seculares. O mercado acessível da empresa para seus novos negócios Electrification, Industrial Automation, Motion, e Robotics and Discrete Automation deverá crescer a longo prazo em 3,5% a 4% ao ano.

Maiores informações

O press release de resultados do primeiro trimestre de 2019 e os slides da apresentação estão disponíveis no ABB News Center em www.abb.com/news e na página de Relações com Investidores em www.abb.com/investorrelations.

Calendário do Investidor 2019

Assembleia Geral Anual

2 de Maio de 2019

Ex-dividendos

6 de Maio de2019*

Resultados do

Segundo Trimestre de 2019

25 de Julho de 2019

Resultados do

Terceiro Trimestre de 2019

23 de Outubro de 2019

* partindo do presuposto de que os acionistas aprovem o dividendo na AGO da ABB

Aviso importante sobre informações prospectivas

Este press release inclui informações e declarações prospectivas, bem como outras declarações sobre as perspectivas de nossos negócios, incluindo aquelas nas seções deste release intituladas “Perspectiva de curto prazo”, “EBITA operacional”, “Fluxo de caixa das atividades operacionais”, “Atualização da transformação” e “Perspectivas de curto e longo prazo”.

Essas declarações baseiam-se nas atuais expectativas, estimativas e projeções sobre os fatores que podem afetar nosso desempenho futuro, incluindo as condições econômicas globais, as condições econômicas das regiões e os principais mercados da ABB Ltda. Essas expectativas, estimativas e projeções são geralmente identificáveis ​​por declarações contendo palavras como “antecipa”, “visa”, “espera”, “acredita”, “estima”, “metas”, “planos”, “é provável”, “pretende ” ou expressões semelhantes. No entanto, existem muitos riscos e incertezas, muitos dos quais estão além do nosso controle, que podem fazer com que nossos resultados reais sejam materialmente diferentes das informações prospectivas e declarações feitas neste press release e que podem afetar nossa capacidade de alcançar qualquer ou todos os nossos alvos declarados.

Os fatores importantes que podem causar tais diferenças incluem, entre outros, riscos de negócios associados ao ambiente econômico global volátil e condições políticas, custos associados às atividades de conformidade, aceitação do mercado de novos produtos e serviços, mudanças nos regulamentos governamentais e taxas de câmbio, entre outros fatores que podem ser discutidos de tempos em tempos nos registros da ABB Ltd junto à U.S. Securitiesand Exchange Commission, incluindo seus Relatórios Anuais no Formulário 20-F. Embora a ABB Ltd acredite que suas expectativas refletidas em qualquer declaração prospectiva sejam baseadas em suposições razoáveis, ela não pode garantir que essas expectativas serão alcançadas.

Zurique, 17 de abril de 2019

Timo Ihamuotila, CFO

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp