Pesquisa ABB mostra como cidades podem combater o estresse hídrico reduzindo emissões de carbono e custos do tratamento de esgoto para reutilização

Pesquisa ABB mostra como cidades podem combater o estresse hídrico reduzindo emissões de carbono e custos do tratamento de esgoto para reutilização

  • Relatório “Energy Transition Equation” da ABB demonstra como a automação e a tecnologia digital podem ajudar as empresas de águas residuais a reduzir as emissões de carbono em até 2.000 toneladas por ano[1], volume equivalente de CO2 responsável por 30.000 toneladas de massa glacial perdida todos os anos[2] [1] Números médios obtidos entre as descobertas para instalações de águas residuais novas (greenfield) e existentes (brownfield). [2] Fonte: O aquecimento global até o momento pode 'aniquilar' um terço do gelo das geleiras - Carbon Brief Nature Climate Change, pelos pesquisadores B. Marzeion, G. Kaser e F. Maussion
  • Com mais de 50.000 estações de tratamento de águas residuais existentes em todo o mundo e uma taxa prevista de crescimento da indústria de mais de 7%, se dimensionado, o impacto no combate à escassez de água e emissões industriais de carbono é vasto
  • Economia média de custos operacionais de até US$ 1,2 milhão por planta[1] fornece às cidades um caminho acessível para tratar mais águas residuais e reduzir a quantidade de águas residuais não tratadas bombeadas para rios e mares [1] Números médios obtidos em descobertas para instalações de águas residuais novas e existentes

Hoje, a ABB publicou o primeiro de uma série de novos relatórios para os setores de energia e águas residuais para destacar o impacto que a tecnologia pode ter ao permitir que os clientes industriais reduzam as emissões de carbono e gerenciem a transição energética para um futuro mais sustentável.

Com as Nações Unidas prevendo um déficit hídrico de 40% até 2040[1], a ABB realizou pesquisas para revelar como o melhor uso das águas residuais pode aliviar a pressão no abastecimento de água. [1] https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000231823_eng  

Quando tratadas de forma eficaz, as águas residuais podem ser devolvidas ao ciclo da água para reutilização, provando ser um recurso valioso, mas muitas vezes inexplorado, no combate à escassez de água. É importante ressaltar que também reduz os níveis de esgoto não tratado bombeado para rios e oceanos, que têm impactos extremamente negativos na saúde pública, no meio ambiente e na vida marinha.

“Dados globais mostram que apenas metade de nossas águas residuais é tratada adequadamente[1]”, afirmou Brandon Spencer, presidente da ABB Energy Industries. “Permitir que as águas residuais não tratadas voltem aos nossos cursos de água não só tem um efeito desastroso na pesca, nos animais, na biodiversidade marinha e na saúde pública, mas também é um terrível 'desperdício' deste bem. Precisamos fazer mais”. [1] ESSD - Estimativas em nível nacional e em grade de produção, coleta, tratamento e reutilização de águas residuais (copernicus.org)

O tratamento de águas residuais, no entanto, requer muita energia, com a indústria em geral consumindo até três por cento da produção total de energia do mundo[1] e contribuindo com mais de 1,5 por cento para as emissões globais de gases de efeito estufa.[2] [1] Economia Circular: Aproveitando o Poder das Águas Residuais - International Water Association (iwa-network.org) [2] Tratamento de águas residuais para captura e utilização de carbono | Nature Sustainability

Buscando restabelecer esse equilíbrio, a ABB realizou nove meses de pesquisa e modelagem com um economista independente, para demonstrar como uma maior adoção e integração de tecnologias de automação de processos pode proporcionar economia de carbono e custos para permitir um tratamento mais eficiente de águas residuais.

As descobertas revelam que em locais de águas residuais, as concessionárias podem reduzir as emissões de carbono em até 2.000 toneladas por ano[1], volume equivalente de CO2 responsável por 30.000 toneladas de massa glacial perdida todos os anos. Com mais de 50.000 estações de tratamento de águas residuais existentes em todo o mundo, a oportunidade, se dimensionada, é superior a 100 milhões de toneladas de CO2 evitadas.[2] [1] Números médios obtidos entre as descobertas para instalações de águas residuais novas (greenfield) e existentes (brownfield). [2] https://www.waternewseurope.com/global-database-of-wwtps-and-their-effluents/#:~:text=More%20than%2058%2C000%20wastewater%20treatment,the%20wastewater%20treatment%20plants%20drain

Além disso, ao aplicar um pacote robusto de controle de processos e soluções digitais, as empresas de água podem obter economias operacionais anuais de até US$ 1,2 milhão (9,5%) por planta, abrindo fluxos de receita para garantir que volumes maiores de águas residuais sejam tratados e sejam menos descartados em nossos rios e mares.

"A ABB está comprometida em liderar com tecnologia para preservar recursos preciosos, como água e energia, e, finalmente, possibilitar uma sociedade de baixo carbono e um mundo mais sustentável. Em 2021, reduzimos nossas próprias emissões de CO2 em 39%, em comparação com o ano referência de 2019, e como parte de nossa Estratégia de Sustentabilidade 2030, estamos trabalhando com nossos clientes com o objetivo de reduzir suas emissões anuais de CO2 em pelo menos 100 milhões de toneladas até 2030”, afirmou Brandon Spencer.

O mercado global de águas residuais, impulsionado pela necessidade de mais água doce, aumento da população e regulamentos ambientais rigorosos, deverá crescer de US$ 300 bilhões em 2022 para US$ 490 bilhões em 2029.[1] [1] https://www.fortunebusinessinsights.com/water-and-wastewater-treatment-market-102632

A modelagem econômica dos relatórios foi realizada pelo economista independente Steve Lucas, da Development Economics[1] em conjunto com a ABB Energy Industries e apoiado por pesquisa de dados existentes de fontes acadêmicas e industriais. A ABB publicará mais relatórios econômicos focados nos mercados offshore, de energia e produtos químicos em 2022 e 2023. [1] https://developmenteconomics.co.uk

Para ler e baixar o relatório, clique aqui: solutions.abb/energy-transition

ABB (ABBN: SIX Swiss Ex) é uma empresa líder global em tecnologia que impulsiona a transformação da sociedade e da indústria para um futuro mais produtivo e sustentável. Ao conectar software ao seu portfólio de eletrificação, robótica, automação e soluções de acionamentos, motores e geradores, a ABB expande os limites da tecnologia para levar o desempenho a novos níveis. Com uma história de excelência que remonta a mais de 130 anos, o sucesso da ABB é impulsionado por cerca de 105.000 funcionários talentosos em mais de 100 países. www.abb.com.

Process Automation é líder em automação, eletrificação e digitalização para processos e indústrias híbridas. Oferecemos um amplo portfólio de produtos, sistemas e soluções ponta a ponta, incluindo nosso sistema de controle distribuído (DCS) número 1 do mercado, softwares, produtos para nichos industriais específicos e sistemas de instrumentação e analítica. Como uma das principais empresas do mercado global, desenvolvemos com base em profundo conhecimento e expertise, time diversificado e presença global, e somos dedicados a ajudar nossos clientes a impulsionar sua competitividade, aumentando seu retorno e possibilitando uma operação segura, inteligente e sustentável. go.abb/processautomation

Notas aos editores

Alguns números da pesquisa foram completados para fins do comunicado de imprensa – cálculos e números exatos podem ser encontrados no relatório. O detalhamento completo dos cálculos incluídos pode ser baixado aqui

Esses números são baseados em 1 instalação de águas residuais greenfield de 95 ML com um ciclo de vida operacional de 32 anos (e fase de desenvolvimento de 4 anos) e 1 instalação de águas residuais brownfield de 50 ML com um ciclo de vida operacional estendido de 32 anos.

1. Average figures taken across findings for new (greenfield) and existing (brownfield) wastewater facilities.
2. Source: Global warming to date could ‘obliterate’ a third of glacier ice - Carbon Brief, Nature Climate Change, by the researchers B. Marzeion, G. Kaser and F. Maussion
3. Average figures taken across findings for new and existing wastewater facilities
4. https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000231823_eng
5. ESSD - Country-level and gridded estimates of wastewater production, collection, treatment and reuse (copernicus.org)
6. Circular Economy: Tapping the Power of Wastewater - International Water Association (iwa-network.org)
7. Wastewater treatment for carbon capture and utilization | Nature Sustainability
8. Average figures taken across findings for new (greenfield) and existing (brownfield) wastewater facilities.
9. https://www.waternewseurope.com/global-database-of-wwtps-and-their-effluents/#:~:text=More%20than%2058%2C000%20wastewater%20treatment,the%20wastewater%20treatment%20plants%20drain
10. https://www.fortunebusinessinsights.com/water-and-wastewater-treatment-market-102632
11. https://developmenteconomics.co.uk

Links

Fale com a gente

Downloads

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp