Resultados quarto trimestre e ano financeiro de 2020

Um fecho sólido num ano complicado

RESUMO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2020

  • Encomendas 7.000 milhões de dólares, + 2%; comparável -1%
  • Faturação 7.200 milhões de dólares, + 2%; comparável 0%
  • Lucro operacional de 578 milhões de dólares; margem 8,0%
  • EBITA operacional de 825 milhões de dólares, com uma margem de 11,5% que inclui a alavancagem combinada de 80 pontos base do acordo final com a Eskom em Kusile na África do Sul e outras despesas comerciais não essenciais.
  • Dividendo básico por ação de -0,04 dólares; dividendo operacional por ação de 0,26 dólares, um decrescimo de 6%
  • Cash flow operacional foi de 1.182 milhões de dólares, com o Cash flow de operações contínuas de 1.225 milhões de dólares após as influências negativas combinadas de aproximadamente 200 milhões de dólares do acordo Kusile e das transferências de planos de pensão.

RESUMO DO ANO 2020

  • Encomendas 26.500 milhões de dólares, -7%; comparável -6%
  • Faturação 26.100 milhões de dólares, -7%; comparável -5%
  • Lucro operacional de 1.593 milhões de dólares; margem 6,1%
  • EBITA operacional de 2.899 milhões de dólares, com uma margem de 11,1% que inclui o impacto combinado de 90 pontos-base do acordo final sobre Kusile e outras despesas de negócios não essenciais, bem como um impacto de 15 pontos-base derivado dos custos de transição.
  • Dividendo básico por ação de 2,44 de dólares, + 261%, que inclui receitas da venda da Power Girds; Dividendo operacional por ação de $ 0,98, -21%
  • Cash flow operacional foi 1.693 milhões de dólares; com o Cash flow de atividades contínuas de 1.875 milhões de dólares seguido de aproximadamente 1.000 milhões de dólares em fluxos financeiros devido à transferências de planos de pensão, desinvestimento da Power Grids e ABB-OS, bem como outros itens relacionados à reestruturação e projetos. Ajustadas para excluir anteriores saídas de caixa, o cash flow das operações contínuas melhorou em cerca de 550 milhões de dólares em relação ao mesmo período do ano passado.
  • Dividendo sugerido de CHF 0,80 por ação

(em milhões de dólares salvo indicação contrária)

T4-2020

T4-2019

US $

Comparativo

Exercício 2020

Exercício 2019

US $

Comparativo

Encomendas

7.003

6.886

+2 %

-1 %

26.512

28.588

-7 %

-6 %

Faturação

7.182

7.068

+2 %

0 %

26.134

27.978

-7 %

-5 %

Faturação das operações

578

648

-11 %


1.593

1.938

-18 %


EBITA Operacional

825

710

+16 %

+12 %

2.899

3.107

-7 %

-8 %

Em % de faturação operativa

11,5

10,1

+1,4 pontos


11,1

11,1

0 pontos


Lucro líquido (prejuízo) atribuível à ABB

-79

325

n.p.


5.146

1.439

+258 %


Dividendo básico por acção ($)

-0,04

0,15

n.p.


2,44

0,67

+261 %


Dividendo operacional por acção($)

0,26

0,27

-6 %2

-10 %

0,98

1,24

-21 %

-22 %

Cash flow operacional

1.182

1.911

-38 %


1.693

2.325

-27 %


Cash flow operativos derivados de operações continuadas

1.225

1.454

-16 %


1.875

1.899

-1 %


"No quarto trimestre, as condições do mercado melhoraram em relação ao trimestre anterior. No entanto, alguns mercados importantes permaneceram problemáticos, os custos de produção aumentaram e a incerteza devido às restrições causadas pelo COVID-19 também aumentaram com o avanço do trimestre. As encomendas mantiveram-se relativamente estáveis em comparação com o mesmo período do ano passado sustentadas por grandes encomendas do setor da construção naval recebidas pela Industrial Automation. As margens operacionais foram influenciadas pelo forte desempenho da Electrification e pelos fortes resultados da Motion.

"2020 foi um ano incomum em que os acontecimentos de mercado foram dominados pelos desafios impostos pela pandemia. Agradeço a velocidade e dedicação com que a equipa da ABB aplicou as suas medidas de mitigação, sempre priorizando a saúde e a segurança dos nossos colaboradores e clientes. Fizemos progressos importantes em 2020 com o lançamento do modelo operacional descentralizado ABB Way, a nossa estratégia de sustentabilidade de longo prazo e o processo iniciado para abandonar três das nossas divisões. Com esta estratégia precisa, a nossa excelente base de tecnologia e uma posição financeira mais forte, a ABB está bem posicionada para 2021 e os próximos anos", disse Björn Rosengren, CEO da ABB.

Resultados do Grupo ABB no quarto trimestre de 2020

Resumo

O desempenho no quarto trimestre foi sólido. Os avanços nas encomendas durante o quarto trimestre foram impulsionados pelo forte crescimento nos segmentos de produtos de curto ciclo, liderados pela China. De destacar a obtenção de grandes encomendas, encomendas acima de 15 milhões de dólares, na Industrial Automation. No entanto, esses resultados foram ofuscados pela queda nas atividades de serviços. As margens operacionais da Electrification e Motion aumentaram com respeito ao mesmo período do ano passado, suportadas por volumes amplamente estáveis ​​e redução de custos, enquanto o desempenho da Industrial Automation e Robotics & Discrete Automation foi limitado pelos efeitos combinados negativos e, no caso da Industrial Automation, despesas especificas do projeto. As medidas tomadas para melhorar a rentabilidade de longo prazo, fortalecer a flexibilidade financeira da ABB e reduzir os riscos do balanço patrimonial, também se refletem nos resultados deste trimestre.

Encomendas

As encomendas aumentaram 2% (1% comparável) este trimestre em comparação com o ano anterior. Os efeitos da conversão cambial tiveram um impacto positivo líquido de 3 por cento, enquanto as alterações no portfólio não tiveram impacto. A carteira de encomendas foi de 14.300 milhões de dólares no final do trimestre, um aumento de 7% (5% comparável).

Visão regional

  • As encomendas na Europa foram 8% inferiores (12% comparáveis), com variação de resultados por país. Na Alemanha e na Suécia, num período comparativo pouco favorável, as encomendas diminuíram respetivamente em 21% (26% comparáveis) e 13% (21% comparáveis). As encomendas aumentaram na Itália em 22% (16% comparáveis) e na Finlândia em 23% (13% comparáveis).
  • As encomendas de todas as Américas foram 7% inferiores (6% comparáveis), com variação de resultados por país. Nos Estados Unidos, as encomendas caíram 12% (12% comparáveis).
  • Na Ásia, Oriente Médio e África (AMEA), as encomendas aumentaram 28% (23% comparáveis). Na Índia, as dificuldades nas encomendas resultaram num decréscimo de 7% (9% comparável). Estes aspetos negativos foram mais do que compensados ​​por um excelente crescimento na China, com um aumento de 23% (21% comparáveis). O crescimento na Coreia do Sul também foi positivo, impulsionado por grandes encomendas, 357% superiores (368% comparáveis), bem como pela alta procura na Austrália e Emirados Árabes Unidos.

Visão geral do mercado final

  • Em setores específicos, o Grupo beneficiou da sólida atividade nos segmentos 3C e Machine Builder. Assiste-se a progessivos sinais positivos no setor automóvel em termos de investimento de capital e investimento no fabrico de veículos elétricos. Os mercados finais, como alimentos e bebidas, continuaram a crescer.
  • As atividades da indústria de processos e energia permaneceram moderadas, exceto no setor de Gás Natural Liquefeito (GNL), onde a ABB beneficiou de encomendas significativas de navios de GNL programados para serem construídos posteriormente. Em todas as outras áreas, os clientes adiaram as suas despesas com serviços e investiram apenas em operações essenciais.
  • A carteira de projetos do setor energético apresentou progressivamente alguns sinais de estabilização. Em outros segmentos de clientes, como indústria mineira, papel e pasta e água e águas residuais, vários projetos de investimento foram concluídos durante o trimestre.
  • Nos setores de transporte e infraestrutura, os investimentos em ferrovias e energias renováveis ​​foram positivos. As encomendas permaneceram fortes nos setores de data center e mobilidade elétrica. As atividades do setor naval foram constantemente afetadas, principalmente na área de serviços.
  • A procura no setor residencial aumentou progressivamente: como um todo, os mercados residenciais superaram os mercados não residenciais.

Faturação

A faturação aumentou 2 por cento (idênticos comparáveis) face ao mesmo período do ano anterior, refletindo o crescimento dos produtos de curto ciclo, mitigada pela maior dificuldade dos serviços. Os efeitos da conversão cambial tiveram um impacto líquido positivo de 3% e as alterações no portfólio tiveram um impacto líquido negativo de 1%. O índice book-to-bill no trimestre foi de 0,98x, semelhante ao mesmo período do ano anterior.

Lucro operacional e EBITA operacional

O lucro operacional foi de 578 milhões de dólares. O resultado do trimestre inclui 220 milhões de dólares em reestruturações e outras despesas associadas, em comparação com os 99 milhões de dólares no mesmo período do ano passado. Estas despesas superaram um pouco o objetivo estabelecido pela administração. As reservas estão relacionadas principalmente a poupanças previstas da ABB-OS, sinergias da integração da GEIS e melhorias de desempenho planeadas na Industrial Automation.

O EBITA operacional foi 16 por cento maior (12 por cento nas moedas locais), situando-se em 825 milhões de dólares. A margem de EBITA operacional de 11,5 por cento aumentou 140 pontos base em relação ao ano anterior. As margens foram superiores na Electrification e Motion, enquanto na Industrial Automation e Robotics & Discrete Automation registaram margens inferiores em comparação com o mesmo período do ano passado. O EBITA operativo tanto corporativo como de outros tipos aumentou em aproximadamente 110 milhões de dólares.

A margem de EBITA operacional inclui o impacto negativo de 45 pontos base derivado do acordo final com a Eskom na África do Sul em relação ao projeto Kusile, bem como o impacto negativo de 35 pontos base derivados de atividades de negócios não essenciais.

Lucro líquido e dividendo básico

As perdas líquidas do Grupo atribuíveis à ABB foram de 79 milhões de dólares. O Grupo registou um resultado financeiro líquido de cerca de 200 milhões de dólares, dos quais 162 corresponderam ao reembolso antecipado de obrigações. Além disso, os custos não operacionais com pensões foram de aproximadamente 130 milhões de dólares. A despesa com imposto de renda foi de 123 milhões de dólares com uma taxa de imposto de 49,2 por cento. Itens especiais como despesas não operacionais com pensões e custos de reembolso de dívidas influenciaram a taxa de imposto em aproximadamente 21 por cento. A perda de 183 milhões de dólares em operações suspensas reflete os ajustes normais de fecho de balanço associados ao lucro da venda da Power Grids.

O dividendo básico por ação foi 0,04 de dólares inferior. O dividendo operacional por ação de 0,26 dólares foi 6 por cento inferior do que no mesmo período do ano passado, principalmente porque o ano anterior incluiu a faturação operacional líquida do antigo negócio Power Grids que foi vendido.

Cash flow operacional

O Cash flow operacional de operações contínuas foi de aproximadamente 1.225 milhões de dólares.

Isto representa uma redução de 230 milhões de dólares em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado reflete vários fatores de grande importância, como a saída de fundos no valor de 115 milhões de dólares no âmbito do acordo com a Eskom para o projeto Kusile na África do Sul, o dispêndio de cerca de 85 milhões de dólares pretendido para fornecer a transferência de certos planos de pensão, bem como saídas de caixa adicionais para a reestruturação dentro da estrutura da ABB-OS e outros programas de reestruturação.

Relativamente ao mesmo período do ano anterior, o cash flow foi negativamente influenciado pelas condições desfavoráveis ​​de pagamento de impostos e pelos movimentos ainda mais desfavoráveis ​​do net working capital. Os valores a receber e a pagar foram menos favoráveis ​​do que no mesmo período do ano passado e foram parcialmente compensados pelos níveis de inventário que suportaram a geração de caixa. Como percentual da receita, o net working capital foi de 10,5% no final do trimestre, em comparação com 9,5% no final do mesmo período do ano passado.

Links

Contacte-nos

Transferências

Partilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp