Resultados do 2º trimestre de 2019

Crescimento contínuo apesar dos ventos contrários do mercado; transformação progredindo

- Total de pedidos + 1% 1, carteira de pedidos + 7%

- Receitas + 2%, book-to-bill2 1,03x

- Margem do EBITA operacional2 11,5%, impactada em 60 pontos-base pela diluição da GEIS e adicionalmente em 90 pontos-base por custos irrecuperáveis

- Lucro líquido de US$ 64 milhões, inclui um encargo de US$ 455 milhões relacionado à saída planejada do negócio de inversores solares - EPS operacional2 US$ 0,34, -10%3

- Fluxo de caixa das atividades operacionais zero, entrega sólida de caixa esperada para todo o ano

-Anunciada a venda do negócio de inversor solar, para agilizar o portfólio

"A ABB continuou a gerar um impulso de primeira linha durante o segundo trimestre, apesar dos obstáculos macroeconômicos e da incerteza geopolítica", disse Peter Voser, Chairman e CEO da ABB. “No futuro, impulsionaremos o crescimento de longo prazo em nossos negócios, mantendo o foco nos custos e no gerenciamento do portfólio. Estamos incutindo uma nova cultura de capacitação para constituir a ABB como um grupo mais forte e mais ágil ”.

“O total geral de pedidos e de receitas continuou a crescer, liderados por Electrification and Motion, enquanto a Robotics and Discrete Automation, em particular, sentiram a desaceleração na produção de máquinas e automóveis”, disse Timo Ihamuotila, CFO da ABB. “Ao mesmo tempo, estamos fazendo um bom progresso com a divisão do nosso negócio de Power Grids, a integração da GEIS e a implantação do nosso modelo operacional ABB-OS, todos planejados para tornar a ABB mais lucrativa.”

NÚMEROS-CHAVE VARIAÇÃO VARIAÇÃO

(em milhões de dólares, salvo indicação em contrário)

2ºTrim.

2019

2ºTrim.

2018

US$

Compa-

rável

H1

2019

H1

2018

US$

Compa-

rável1

Pedidos

7.401

7.133

+4%

+1%

15.014

14.688

+2%

+2%

Receitas

7.171

6.731

+7%

+2%

14.018

13.172

+6%

+3%

Receita operacional

123

708

-83%

713

1.334

-47%

EBITA Operational

825

855

-4%

+1%4

1.591

1.607

-1%

+5%4

conforme % das receitas operacionais

11,5%

12,6%

-1,1pts

11,4%

12,2%

-0,8pts

Lucro (prejuízo) das operações continuadas, líquido de impostos

-54

524

n.a.

361

938

-62%

Lucro líquido atribuível à ABB

64

681

-91%

599

1.253

-52%

LPA Básico ($)

0,03

0,32

-91%

0,28

0,59

-52%3

LPA Operacional ($)2

0,34

0,38

-10%3

-10%3

0,64

0,69

-7%3

-%3

Fluxo de caixa das atividades operacionais

0

1.010

n.a.

-256

492

n.a.

Em 17 de dezembro de 2018, a ABB anunciou uma venda acordada de seu negócio de Power Grids. Consequentemente, os resultados do negócio de Power Grids estão apresentados como operações descontinuadas. Os resultados da empresa, para todos os períodos, foram ajustados de acordo.

Perspectivas de curto-prazo

Os indicadores macroeconômicos estão mistos na Europa e na China, enquanto o crescimento nos EUA é mais sustentado. Em geral, os mercados globais permanecem afetados por incertezas geopolíticas.

Os mercados finais nos quais a ABB atua estão mostrando resiliência, com ventos contrários em alguns deles, particularmente em indústrias discretas. Estima-se que os preços do petróleo e os efeitos da conversão cambial continuem a influenciar os resultados da empresa.

Resultados do Grupo no 2ºTrim. de 2019

Pedidos

No trimestre, os pedidos cresceram 1% (4% em dólares americanos) em comparação com o mesmo período do ano anterior. O crescimento de Electrification and Motion foi atenuado pela menor demanda em Robotics & Discrete Automation e menores pedidos de grande porte em Industrial Automation. A carteira de pedidos aumentou 7% (3% menor em dólares americanos), encerrando o trimestre em US$ 14 bilhões.

As ordens de serviço representaram 20% do total de pedidos, crescendo no segundo trimestre em 3% (2% menor em dólares americanos).

As mudanças no portfólio de negócios, incluindo os impactos da aquisição da GE Industrial Solutions (“GEIS”) e do estabelecimento da Joint Venture (“JV”) com a Linxon, resultaram em um impacto líquido positivo de 8% no total de pedidos. Os efeitos de conversão cambial tiveram um impacto negativo líquido de 5% no total de pedidos.

Visão Geral do Mercado

O desempenho regional foi variado durante o trimestre:

  • As encomendas da Europa ficaram estáveis ​​(3% mais baixas em dólares americanos). Forte crescimento na França, Holanda e Espanha, além do sólido crescimento da Alemanha contrabalançados pelos baixos níveis de pedidos da Itália, Reino Unido, Finlândia e Suécia. Na Alemanha, os pedidos aumentaram 1% (2% mais baixos em dólares americanos).
  • Os pedidos nas Américas aumentaram 7% (30% em dólares americanos). As encomendas se desenvolveram particularmente bem em toda a América do Sul, incluindo o Brasil e o Chile. As encomendas dos Estados Unidos subiram 1% (29% em dólares americanos).
  • Na Ásia, Oriente Médio e África (AMEA), os pedidos foram 3% menores (6% em dólares). Os níveis mais baixos de pedidos de países como Japão, Arábia Saudita e China superaram o forte crescimento da Coréia do Sul, África do Sul e Austrália e do sólido crescimento na Índia. Na China, os pedidos foram 1% menores (3% mais baixos em dólares americanos).

A demanda foi diversificada nos principais segmentos de clientes da ABB:

  • Nas indústrias de processo, a demanda contínua por soluções de eletrificação, automação e digitalização impulsionada pelo opex refletiu-se no crescimento contínuo dos pedidos de clientes de petróleo e gás, mineração e papel e celulose.
  • As indústrias tradicionais do setor automotivo e do setor de autopeças, assim como as fabricantes de máquinas e 3C, foram particularmente desafiadas durante o trimestre, o que impactou o crescimento da ABB. As Indústrias discretas moderaram durante o trimestre, embora mercados finais selecionados, como alimentos e bebidas, e logística, tenham se mostrado resilientes.
  • Nos setores de transporte e infraestrutura, os investimentos em transporte ferroviário e embarcações de transporte marítimo de especialidade continuaram. Os pedidos de oferta de mobilidade eletrônica e de infraestrutura de data center da ABB cresceram bem. A demanda de edifícios ficou estável.

Receitas

As receitas melhoraram 2% (7% em dólares), com o crescimento em Electrification, Industrial Automation and Motion, superando um desempenho mais discreto de Robotics & Discrete Automation.

As receitas de serviços aumentaram 1% (4% em dólares americanos). Os serviços representaram 19% da receita total.

As mudanças no portfólio de negócios, incluindo os impactos da aquisição da GEIS e do estabelecimento da JV com a Linxon, contribuíram com um resultado líquido positivo de 9% para as receitas reportadas. As variações nas taxas de câmbio resultaram em um impacto negativo de 4% na conversão sobre as receitas reportadas.

O índice book-to-bill para o trimestre foi de 1,03x comparado a 1,06x no período do ano anterior.

Em um cenário de atividade mais moderada em alguns mercados finais, a ABB espera um ligeiro crescimento nas receitas anuais em bases comparáveis ​​com 2019, apoiado por sua carteira de pedidos.

EBITA operacional

O EBITA operacional de US$ 825 milhões foi 4% menor em dólares americanos (alta de 1% em moedas locais). A margem operacional do EBITA de 11,5% foi 110 pontos-base mais baixa ano a ano.

Os fatores da margem incluem um impacto de aproximadamente 60 pontos base da diluição da GEIS e um impacto adicional de 90 pontos-base de custos irrecuperáveis. Custos irrecuperáveis ​​são serviços prestados pelo grupo a Power Grids que não se qualificam para serem reportados como operações descontinuadas e que o grupo espera que sejam predominantemente transferidos para Power Grids ou eliminados até o fechamento da transação. Custos irrecuperáveis ​​de US$ 66 milhões foram reconhecidos no resultado Corporativo e outros do EBITA operacional, US$ 12 milhões a menos do que no segundo trimestre de 2018.

A ABB espera que as margens operacionais anuais do EBITA melhorem em 2019, auxiliadas por um desempenho aprimorado da GEIS, da eliminação contínua de custo ocioso, da melhoria de não-essenciais e de seu programa de simplificação.

Lucro líquido, lucro básico e operacional por ação

A perda líquida de operações contínuas foi de US$ 54 milhões. O resultado inclui um encargo de US$ 455 milhões registrado no trimestre após o acordo anunciado para desinvestir o negócio de inversores solares. O lucro líquido de operações descontinuadas foi de US$ 142 milhões.

O lucro líquido do grupo atribuível à ABB foi de US$ 64 milhões. O lucro básico por ação foi de US$ 0,03, 91% menor do que no ano anterior. O lucro operacional por ação de US$ 0,34 foi 10% menor.

Fluxo de caixa das atividades operacionais

O fluxo de caixa das atividades operacionais de US$ 0 milhão se compara a US$ 1.010 milhão no segundo trimestre de 2018. Versus o período do ano anterior, o fluxo de caixa de atividades operacionais em operações contínuas diminuiu para US$ 69 milhões, de US$ 686 milhões, enquanto o fluxo de caixa de operações descontinuadas caiu para US$ 69 milhões, de US$ 324 milhões.

Em relação a um ano atrás, o fluxo de caixa das atividades operacionais contínuas reflete principalmente o tempo de pagamento de incentivos dos funcionários, feito no segundo trimestre deste ano, que em 2018 foi pago no primeiro trimestre. Além disso, o fluxo de caixa foi influenciado por movimentos menos favoráveis ​​nas contas a pagar em comparação com o mesmo período do ano passado. O capital de giro líquido como percentual da receita foi de 13,6%. A ABB espera uma sólida apresentação de caixa para o ano, não incluindo as saídas de caixa para o programa de simplificação e das atividades de carve-out, além dos impactos fiscais em dinheiro associados.

Desempenho dos negócios do 2º Trimestre

(em milhões de dólares, salvo indicação em contrário)

Pedidos

US$

Compa-

rável1

Receitas

US$

Compa-

rável1

EBITAOp VARIAÇÃO

Electrification

3.339

+22%

+5%

3.272

+22%

+4%

13,5%

-2,5pts

Industrial Automation

1.622

-8%

-4%

1.580

-2%

+3%

12,1%

-2,2pts

Motion

1.762

+0%

+4%

1.641

+1%

+5%

16,7%

+0,4pts

Robotics & Discrete Automation

883

-14%

-9%

845

-9%

-3%

12,3%

-2,6pts

Corporate & Other

(205)

(167)

(185)

Grupo ABB

7.401

+4%

+1%

7.171

+7%

+2%

11,5%

-1,1pts

A partir de 1º de outubro de 2018, o negócio de Power Grids foi transferido de operações continuadas para operações descontinuadas. Todos os valores relatados anteriormente foram reapresentados de maneira consistente com essas alterações no portfólio. O resultado Corporativo e Outros inclui eliminações de intersegmentos.

Electrification

O total de pedidos aumentou 5% (22% em dólares americanos). O crescimento dos pedidos foi beneficiado pela forte demanda por soluções, incluindo um excelente crescimento em segmentos importantes, como ferrovias, data centers, infraestruturas de energia eólica e de veículos elétricos. A demanda por construções permaneceu estável. Em uma base regional, os pedidos cresceram bem nas regiões das Américas e AMEA, incluindo China, e aumentaram na Europa. As receitas melhoraram 4% (22% em dólares americanos). A margem do EBITA operacional foi de 250 pontos-base, 13,5% menor na comparação ano-a-ano, refletindo a diluição de 200 pontos-base da GEIS. Excluindo-se a GEIS, as margens refletem uma mudança no mix de negócios de Electrification.

Industrial Automation

O total de pedidos foi 4% menor (8% em dólares americanos). O desenvolvimento de pedidos foi influenciado pela queda de grandes encomendas na Europa e no Oriente Médio, em comparação com o difícil período do ano anterior. O crescimento mostrou bom impulso nas indústrias de processo e petróleo e gás, atenuado em particular pela debilidade na geração de energia convencional. A carteira de pedidos permaneceu estável (2% menor em dólares americanos) no final do trimestre em comparação com o mesmo período do ano anterior. As receitas foram 3% maiores (2% menores em dólares americanos). A margem do EBITA operacional em 12,1%, 220 pontos-base menor em comparação com o ano anterior, reflete os impactos do mix de projetos e os custos mais altos, devidos à absorção insuficiente e investimentos em crescimento.

Motion

O total de pedidos subiu 4% (estável em dólares americanos), impulsionado pelo bom crescimento de pedidos, especialmente em drives e serviços, incluindo algumas encomendas maiores de equipamentos de tração. Em uma base regional, as encomendas foram fortes na Europa e estáveis ​​em outros lugares. A carteira de pedidos encerrou o trimestre em alta de 5% (4% em dólares americanos). As receitas cresceram 5% (1% em dólares americanos), enquanto a margem do EBITA operacional em 16,7% expandiu 40 pontos-base em comparação com o mesmo período do ano anterior, principalmente devido a volumes favoráveis ​​e ao gerenciamento contínuo de custos.

Robotics & Discrete Automation

O total de pedidos foi 9% menor (14% em dólares americanos), refletindo uma base de comparação difícil e um mercado desafiador. A debilidade foi mais evidente nos mercados automotivos, 3C e fabricantes de máquinas, especialmente em atividades de ciclo curto. A demanda permaneceu firme para automação de logística e o negócio continuou a se beneficiar de pedidos para suas soluções automotivas. O resultado regional mostra um crescimento na Europa e nas Américas penalizado pela fraqueza da região da AMEA, particularmente da China. A carteira de pedidos encerrou o trimestre em alta de 10% (8% em dólares americanos). As receitas foram 3% menores (9% em dólares americanos). A margem do EBITA operacional de 12,3% ficou 260 pontos-base abaixo do nível do ano anterior, refletindo volumes menores e mix adverso.

O progresso da transformação e do negócio no 2º Trimestre

Na nova estrutura, os quatro negócios da ABB entraram em vigor a partir de 1º de abril de 2019 e continuam impulsionando o crescimento com um forte foco no gerenciamento de custos e de portfólio.

A reorganização para o novo modelo operacional está avançando. As funções de marketing e vendas, operações e serviços do Grupo foram integradas nos negócios durante o trimestre. A transferência de recursos nacionais para os negócios, seguindo as relações trabalhistas locais, também foi iniciada.

Como resultado da implementação do ABB-OS, a ABB espera um total de aproximadamente US$ 500 milhões em reduções de custos anuais em todo o Grupo e espera atingir a meta de US$ 150-200 milhões prevista para 2019 e a meta total a ser atingida durante 2021.

O trabalho para o carve-out de Power Grids está em andamento. Aproximadamente dois terços das estruturas legais necessárias foram incorporadas, enquanto as equipes nacionais e funcionais estão fazendo um bom progresso no escopo e na implementação da separação, de acordo com as leis e requisitos locais. A ABB espera fechar a transação no primeiro semestre de 2020.

A integração da GEIS com a Electrification está progredindo bem. Entre outras ações, o negócio de Electrification apresentou o novo portfólio combinado ABB + GEIS durante o trimestre e anunciou planos para otimizar seus ativos combinados de fabricação de média tensão, com base nos EUA.

Em 9 de julho, a ABB anunciou um acordo para vender seu negócio de inversores solares para a FIMER S.p.A, empresa italiana de energia solar, evidenciando o compromisso da ABB em agilizar seu portfólio. A transação deve ser concluída no primeiro trimestre de 2020, sujeita a certas condições, e espera-se que apóie o progresso de Electrification em direção ao seu corredor de margem de meta de 15% a 19%.

Aviso importante sobre informações prospectivas

Este press release inclui informações e declarações prospectivas, bem como outras declarações sobre as perspectivas de nossos negócios, incluindo aquelas nas seções deste release intituladas “Perspectiva de curto prazo”, “EBITA operacional”, “Fluxo de caixa das atividades operacionais”, “Atualização da transformação” e “Perspectivas de curto e longo prazo”.

Essas declarações baseiam-se nas atuais expectativas, estimativas e projeções sobre os fatores que podem afetar nosso desempenho futuro, incluindo as condições econômicas globais, as condições econômicas das regiões e os principais mercados da ABB Ltda. Essas expectativas, estimativas e projeções são geralmente identificáveis ​​por declarações contendo palavras como “antecipa”, “visa”, “espera”, “acredita”, “estima”, “metas”, “planos”, “é provável”, “pretende” ou expressões semelhantes. No entanto, existem muitos riscos e incertezas, muitos dos quais estão além do nosso controle, que podem fazer com que nossos resultados reais sejam materialmente diferentes das informações prospectivas e declarações feitas neste press release e que podem afetar nossa capacidade de alcançar qualquer ou todos os nossos alvos declarados.

Os fatores importantes que podem causar tais diferenças incluem, entre outros, riscos de negócios associados ao ambiente econômico global volátil e condições políticas, custos associados às atividades de conformidade, aceitação do mercado de novos produtos e serviços, mudanças nos regulamentos governamentais e taxas de câmbio, entre outros fatores que podem ser discutidos de tempos em tempos nos registros da ABB Ltd junto à U.S. Securitiesand Exchange Commission, incluindo seus Relatórios Anuais no Formulário 20-F. Embora a ABB Ltd acredite que suas expectativas refletidas em qualquer declaração prospectiva sejam baseadas em suposições razoáveis, ela não pode garantir que essas expectativas serão alcançadas.

  • Endnotes

    1. 1As taxas de crescimento para pedidos, carteira de pedidos e receitas são comparáveis ​​(moeda local ajustada para aquisições e alienações).2Para uma reconciliação de medidas não preparadas de acordo com os GAAP, consulte “reconciliações e definições suplementares” no anexo Q2 2019 Financial Information3As taxas de crescimento do LPA são calculadas usando montantes não arredondados. O lucro operacional por ação comparável está em moeda constante (taxas de câmbio de 2014 não ajustadas por alterações na carteira de negócios).4Moeda Constante (não ajustada para mudanças no portfólio).5O montante representa o total para operações contínuas e descontinuadas.

Links

Fale com a gente

Downloads

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp