Nuvem: uma das portas para a transformação digital

Nuvem: uma das portas para a transformação digital

Parte integral do processo de digitalização, armazenamento em nuvem faz parte de uma jornada para a digitalização e favorece o desempenho operacional, além de reduzir custos e otimizar produtividade

Pode-se dizer que a nuvem é a computação da indústria 4.0 e está no centro da transformação digital ao lado de Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning, último degrau do caminho rumo à digitalização. Todo esse elenco tecnológico está cada vez mais presente nas operações e nas plantas da indústria moderna, ajudando na tomada de decisões estratégicas e no gerenciamento de operações.

Antes de entrar no que a nuvem pode proporcionar ao negócio, é importante reforçar que trabalhar com dados armazenados em cloud faz parte de uma jornada, que começa com o edge computing, ou seja, lidar com os dados que ficam na borda da rede e que são capazes de processar demandas urgentes e selecionar o que deve ir para a nuvem. É importante explicar que edge computing não se trata de algo que surgiu antes do conceito de cloud, mas sim faz parte do contexto do armazenamento em nuvem.

Neste caminho em direção à indústria moderna, há também o fog computing, quando os dados são alocados mais próximos do limite da rede. Tanto em egde quanto em fog, o dado é pré-tratado e, assim, avalia-se o que é realmente necessário migrar para o nível de cloud.

É neste cenário que entra a ABB Ability™ Asset Vista Condition Monitoring, a solução que manuseia os dados de maneira preditiva a fim de antecipar necessidades de manutenção e evitar excessos, prevenindo exposições desnecessárias das pessoas a áreas perigosas e acelerando reparos. A solução coleta, rapidamente, informações divergentes de vários equipamentos, como motores, disjuntores, redutores, válvulas, chaves e sensores e apresenta o que foi coletado em dashboards de fácil utilização para as equipes de operações, automação e pessoal de manutenção.

Por trabalhar com protocolos de comunicação aberta, pode ser facilmente integrada à ampla variedade de sistemas de controle de terceiros.

Agora, vamos destacar o papel do armazenamento em nuvem e as oportunidades que essa tecnologia proporciona. Afinal, trata-se de uma ferramenta que acelera a demanda por produtos customizados e, claro, torna a experiência dos clientes ainda melhor

Possibilidades trazidas pela nuvem1

Com o advento da nuvem, foi possível alocar recursos de computação em data centers com alta performance, diminuir os requisitos locais e promover uma colaboração mais inteligente entre equipes. Essa mudança também foi favorecida por dispositivos, como smartphones e tablets, trazendo mais mobilidade.

A ABB, por exemplo, permite que provedores de serviço em nuvem controlem e automatizem cargas de trabalho, gerenciamento de energia e custos por meio da plataforma Data Center Infrastructure Management (DCIM) - ABB Ability Data Center Automation, por exemplo.

Com esse recurso em mãos, é possível ganhar escalabilidade no negócio, uma das grandes vantagens, especialmente, quando se trata de infraestrutura, instalações de plataforma ou provisionamento de software- as-a-service (SaaS).

Outro benefício é a dinamicidade, além da capacidade de incentivar colaboração quando há necessidade do dado ser compartilhado entre diferentes times de uma mesma empresa ou, até mesmo, entre companhias. Além disso, ao unir a função SaaS no nível da nuvem a uma instalação de ponta no site pode agregar muito valor para a fábrica e isso favorece componentes de ponta.

Um exemplo de como isso funciona é como os indicadores de desempenho (KPIs) podem ser calculados na borda. Nesse caso, a análise, a comparação e a visualização são feitas na nuvem. Tal dinâmica ocorre da seguinte forma: um cliente fornece os dados e recebe os resultados como um serviço.

Com mais de 35 anos de experiência, a ABB oferta todos esses serviços por meio da operação ABB Cloud Services, que reúne expertise global e está apta a construir setores de TI, pensando em qualidade e custo-benefício.

É uma operação global, com 5 locais de suporte e mais de 110 pessoas ao redor do mundo, e conta com uma gama de serviços que funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, como infraestrutura segura de TI, opções de entrega, suporte ao cliente, planos de contingência, entre outras modalidades. Todo esse aparato entrega as ferramentas necessárias para otimizar disponibilidade e performance. Como as soluções são modulares, permitem que cada cliente possa terceirizar o gerenciamento e as operações de TI.

A digitalização promove o “aumento da automação, manutenção preditiva, auto-otimização de melhorias de processos e, acima de tudo, um novo nível de eficiência e capacidade de resposta aos clientes que antes não era possível”, é o que diz o artigo da IBM, “Whats is Industry 4.0”.

Além de elevar o grau de efetividade das empresas, a digitalização também é capaz de tornar as companhias mais sustentáveis. Um case é a parceria da ABB com a Combitech, Epiroc e Sandvik em um projeto idealizado pela LKAB: o Sustainable Underground Mining (SUM), com o objetivo de estabelecer novos padrões mundiais em mineração sustentável. Entre as metas ambientais, está atingir emissões zero de dióxido de carbono.

A ABB forneceu eletrificação, sistema de controle e sistemas de gerenciamento de operações, e estações de operação de alta performance que são móveis como parte de uma parceria global de mineração para a mudança de tecnologia e redução de impacto climático.

E os sucessos obtidos por meio da digitalização com o armazenamento em nuvem sempre tem por trás uma grande preocupação: a proteção de dados dos clientes, uma das prioridades da ABB. Afinal, informações estratégicas e, muitas vezes, confidenciais são ativos valiosos e não podem ficar vulneráveis.

Um artigo da própria ABB resume de forma eficaz de que maneira as operações baseadas em nuvem podem impactar as organizações: “À medida que as empresas se tornam cada vez mais virtualizadas e baseadas na nuvem, os silos estão caindo e as fronteiras rígidas tradicionais entre o data center e o resto da organização estão se tornando meras manchas. Este fenômeno foi recentemente delineado pelo The 451 Group, que cita uma convergência de domínios, capacidades e portfólios de capacidades derivadas do fato de que domínios de negócios, tecnologia e instalações estão se fundindo para criar novos serviços e capacidades de entrega, contando com uma gama de recursos próprios, capacidades alugadas ou fornecidas pela nuvem”2.

Referências:

1 - https://new.abb.com/news/detail/24358/cloud-edge-and-fog-computing
2 - https://library.e.abb.com/public/512a0d8a97694bfd9628a8a50439b84c/ABB-1271-WPO_ManagingCloud-basedEnterprise.pdf

Links

Fale com a gente

Downloads

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp