Aço perfeito: tecnologia ABB à altura dos rigorosos padrões de alimentos e bebidas, setor automotivo e papel e celulose

Aço perfeito: tecnologia ABB à altura dos rigorosos padrões de alimentos e bebidas, setor automotivo e papel e celulose

Para servir aos altos padrões da indústria, chapas de aço precisam estar impecavelmente planas e consistentes

Para fabricar uma latinha de refrigerante é necessário muito mais que a matéria-prima em si. As instalações fabris de uma indústria de alimentos e bebidas são resultado de um amplo conjunto de elementos e pessoas em funcionamento. Talvez, o que foge ao olhar são os detalhes que garantem a qualidade do produto final. Neste caso, os medidores de planicidade de materiais como alumínio e aço são elementos mais discretos, porém indispensáveis.

Para chegar aos elevados padrões de indústrias como a de alimentos e bebidas e automotiva, materiais como aço e alumínio precisam estar impecáveis, sem protuberâncias que comprometam, por exemplo, o armazenamento de substância ou o desempenho de ferramentas.

O alumínio passa por um controle de planicidade e se for reprovado, o prejuízo é expressivo: em geral, cada bobina de alumínio produzida pelo segmento de metal-mecânica, que atende os setores de alimentos e bebidas e automotivo, tem cerca de 13 de toneladas, e o custo de cada uma gira em torno R$ 450 mil. Logo, se uma bobina não passa no teste, há uma perda de centenas de milhares de reais.

Além disso, há outras perdas: materiais, horas de trabalho e a pior de todas, a perda de competitividade no mercado. Mas há como evitar prejuízos dessa grandeza e, sobretudo, aumentar os ganhos de produtividade e elevar o valor do negócio. Neste caso, a solução está  na dosagem da força liberada pelas máquinas, uma medida que influencia diretamente na planicidade de chapas de aço e alumínio.

Força levada em conta

Para medir o nível de planicidade do aço, a área de instrumentação e analítica da ABB desenvolveu o Stressometer 9.0, um sistema que faz parte do portfólio de medidores de força da multinacional. A solução é composta por um equipamento em formato de cilindro que faz a verificação da superfície e um programa digital que gera dados e gráficos em 2D e 3D.

Juntos, os recursos de extração e integração dos dados resultam em uma produção mais eficiente, com redução dos custos e do consumo de energia, e melhor aproveitamento dos profissionais da planta.

Além do stressometer para controle da planicidade das chapas, há o medidor de espessura do aço, que atesta a qualidade de componentes fabricados pelo segmento OEM. Um exemplo são os laminadores utilizados na indústria de papel e celulose. A força desses laminadores é precisamente calculada para que o setor entregue um papel sem rugosidade ou pontos de ruptura. Neste caso, a linha Web Tension da ABB atende principalmente a indústria de papel e celulose.

Para planicidade e espessura perfeitas, a tecnologia de ponta também é o principal elemento em todos os segmentos da cadeia industrial. E a ABB, que assina a tecnologia utilizada por gigantes de metal-mecânica e de papel celulose, inova no desenvolvimento de componentes que não só dão conta de atender o elevado padrão de qualidade do mercado consumidor, mas geram informações valiosas para o negócio.

Links

Fale com a gente

Downloads

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp