GHGSat dobra capacidade de monitorar emissões de metano com três novos sensores ópticos construídos pela ABB

GHGSat dobra capacidade de monitorar emissões de metano com três novos sensores ópticos construídos pela ABB

  • A GHGSat equipa sua constelação de satélites existentes com mais três sensores ópticos construídos pela ABB, aumentando a frequência de observações e a capacidade de identificar com precisão a fonte de emissões de metano.
  • Os sensores ópticos de detecção de metano construídos pela ABB podem mapear do espaço as emissões industriais, com uma resolução 100 vezes maior do que as tecnologias comparáveis atualmente em operação.
  • O monitoramento das emissões de gases de efeito estufa (GEE) do espaço apoia o cumprimento das metas mundiais de mudança climática.

A empresa canadense GHGSat, especializada em monitoramento de GEE de alta resolução a partir do espaço, lança três novos sensores ópticos construídos pela ABB no espaço, a bordo de um foguete SpaceX Falcon 9, da Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, dobrando a capacidade de monitorar as emissões de gás metano.

A tecnologia de imagem hiperespectral da GHGSat localiza e mede com precisão as emissões de metano de qualquer local industrial na Terra. O lançamento de três novos sensores de metano de alta resolução construídos pela ABB dobra a capacidade da empresa de monitorar as instalações dos clientes. Além das três unidades que estão sendo lançadas – Luca, Penny e Diako – cinco unidades adicionais dedicadas às medições de metano estão sendo fabricadas na ABB. 

O espaço é o único local que permite que as emissões sejam monitoradas livremente em todas as jurisdições e relatem melhorias ou não. Medir locais diferentes com o mesmo sensor garante que as emissões sejam comparadas de forma consistente. As medições espaciais também são especialmente úteis para locais onde os sensores terrestres são economicamente inviáveis ou muito complexos para serem implantados. 

A GHGSat anunciou o contrato inicial da constelação com a ABB em outubro de 2020, com as primeiras entregas iniciadas em 2021. O lançamento de três unidades adicionais reforça a liderança em órbita da GHGSat, operando a maior constelação do mundo dedicada ao monitoramento de emissões de GEE.

De acordo com a Agência Internacional de Energia, o metano é responsável por cerca de 30% do aumento das temperaturas globais desde a Revolução Industrial, e reduções rápidas e sustentadas nas emissões de metano são fundamentais para limitar o aquecimento global de curto prazo e melhorar a qualidade do ar

"Os dados de satélite são cruciais para que as partes interessadas em todo o mundo tomem medidas imediatas para um futuro sustentável. O primeiro ano completo de operação comercial dos satélites GHGSat confirmou o impacto que nossa tecnologia pode ter. Estamos empolgados em dobrar nossa capacidade e acelerar a mudança necessária para fazer a diferença em nosso planeta”, disse Stephane Germain, CEO da GHGSat.

“Este é um marco emocionante para nossa equipe, pois testemunhamos a eficiência de aplicar nosso know-how de produção em série à fabricação de sensores espaciais, que no passado eram principalmente contratos pontuais. Nossa parceria com a GHGSat levou a uma mudança de paradigma no setor espacial industrial. Isso não apenas estabelece novos padrões em nossa oferta de espaço para o setor privado, que está crescendo em ritmo acelerado, mas também nos permite expandir nossa experiência e oferta de soluções”, disse Marc Corriveau, Gerente Geral da ABB Measurement & Analytics Canadá. 

Por mais de duas décadas, com envolvimento na missão canadense SCISAT e no programa japonês de satélites GOSAT, a ABB tem estado na vanguarda da detecção de gases de efeito estufa a partir do espaço. Os equipamentos ópticos da ABB já no espaço acumulam mais de 100 anos de operação confiável. Desde 2003, o sensor SCISAT rastreia mudanças sutis de composição de longo prazo na atmosfera da Terra, até partes por trilhão de mais de 70 moléculas e poluentes. Agências meteorológicas em todo o mundo baseiam suas previsões em equipamentos da ABB, voando a bordo dos satélites meteorológicos (NPP e JPSS) da Administração Nacional Oceanográfica e Atmosférica dos EUA (NOAA), o que melhora a pontualidade e a precisão das previsões meteorológicas por até sete dias, ajudando a salvar vidas por meio de evacuações com aviso antecipado.

Como os sensores da ABB mapeiam os gases de efeito estufa a partir do espaço

A ABB (ABBN: SIX Swiss Ex) é uma empresa líder global em tecnologia que impulsiona a transformação da sociedade e da indústria para um futuro mais produtivo e sustentável. Ao conectar software ao seu portfólio de eletrificação, robótica, automação e soluções de acionamentos, motores e geradores, a ABB expande os limites da tecnologia para levar o desempenho a novos níveis. Com uma história de excelência que remonta a mais de 130 anos, o sucesso da ABB é impulsionado por cerca de 105.000 funcionários talentosos em mais de 100 países. www.abb.com

Process Automation: A unidade de negócios de Automação de Processos da ABB é líder em automação, eletrificação e digitalização para os setores de processos e híbridos. Atendemos nossos clientes com um amplo portfólio de produtos, sistemas e soluções ponta a ponta, incluindo nosso sistema de controle distribuído nº 1, software e serviços de ciclo de vida, produtos específicos da indústria, bem como ofertas de medição e análises marítimas e turbo alimentadores. Como o nº 2 global no mercado, nos baseamos em nossa profunda expertise de domínio, equipe diversificada e presença global, e nos dedicamos a ajudar nossos clientes a aumentar a competitividade, melhorar seu retorno sobre o investimento e conduzir operações seguras, inteligentes e sustentáveis.

A GHGSat é líder em monitoramento de gases de efeito estufa de alta resolução do espaço, fornecendo dados de emissão acionáveis para empresas, governos e reguladoras em todo o mundo. Com recursos proprietários de sensoriamento remoto e tecnologia patenteada, a GHGSat pode monitorar instalações individuais, oferecendo maior precisão de dados e facilitando a tomada de decisões estratégicas oportunas. www.ghgsat.com

Endnotes

  1. https://www.iea.org/news/methane-emissions-from-the-energy-sector-are-70-higher-than-official-figures
  2. Image by Space Flight Laboratory

Links

Fale com a gente

Downloads

Compartilhe este artigo

Facebook LinkedIn Twitter WhatsApp